Primeiro Passo para Uma Vida Inteira de Novas Conquistas

Queloide: o que é, como tirar e quais os principais tratamentos para as cicatrizes queloidianas

Atualizado em 02/02/2024 14:42

Você tem queloide?

A formação de cicatrizes queloidianas – aquelas que se sobressaem para além do que era a ferida inicial – é mais comum do que se imagina.

Mas como saber quando é um queloide? Ou como se forma?

Pouco se sabe sobre o que realmente causa as cicatrizes queloidianas, mas quem sofre com esse mal tem uma certeza: o medo de se ferir e ficar com cicatrizes altas e desproporcionais é sempre grande!

Inclusive, muitas pessoas deixam de realizar sonhos como colocar um piercing, fazer uma tatuagem ou uma cirurgia plástica com medo de ter um queloide de cicatriz.

Mas, será que dá para prever quem terá ou não? Será que dá para tratar? Tem como tirar a cicatriz de queloide?

Pensando nisso, nós da Dream Plastic, a clínica mais recomendada entre as mulheres, respondemos as principais dúvidas sobre como acabar com os queloides neste artigo!

Ah! Ele foi revisado por médicos especialistas, viu?

Esclareça suas dúvidas!

O que é queloide?

O queloide é uma cicatriz mais grossa e alta do que o normal, com uma coloração rosada ou mais escura que o restante da pele. Ele se forma quando a cicatrização de uma lesão acontece de forma excessiva, ou seja, há uma ação exagerada do colágeno ao tentar curar um ferimento ou acne.

Ilustração que mostra o que é queloide
Veja como ela é.

Quando sofremos qualquer machucado, seja um corte, queimadura, acne e até uma mordida de mosquito, o nosso organismo inicia um processo de cicatrização normal para reparar o tecido. A formação de colágeno, proteína responsável por essa cura, permite criar uma nova camada de pele.

É nesse processo que surge a queloide na cicatriz, que tem esse aspecto diferente, quando as proteínas criam mais camadas do que o necessário.

Sua aparência inicialmente será rosada e plana, mas com o passar do tempo, essa lesão vai ficar com um tom avermelhado, aspecto endurecido e o seu tamanho vai aumentar muito, até ultrapassar os limites da ferida original.

Ao contrário das cicatrizes, os queloides não desaparecem ao longo do tempo. 

Também vale ressaltar que eles não são contagiosos ou trazem danos à saúde. Apesar de serem um crescimento anormal, são benignos.

Como se forma o queloide?

O queloide se forma a partir de uma ação excessiva da síntese de colágeno. Ao nos machucarmos, o corpo começa um processo para a reparação ou criação do tecido, sendo as fibras de colágenos as responsáveis por devolver a aparência da pele. Quando elas trabalham exageradamente, se forma esse tipo de cicatriz.

Ilustração que mostra como é a queloide na cicatriz
Veja só:

Neste artigo a gente explica melhor como funciona o processo de cicatrização.

Mas, para resumir: ao nos cortarmos com uma faca, por exemplo, há a perda tecidual daquela região ferida, então o corpo precisa “tapar o buraco”, e as células responsáveis por esse trabalho promovem a síntese de colágeno.

Após a junção do tecido de granulação, as fibras do colágeno – que haviam se partido com o corte – precisam se reorganizar e voltar para seu local de origem.

O queloide se forma nessa hora, seu desenvolvimento se dá pela desorganização dessas fibras.

A cicatrização possui 3 estágios, inflamatório, proliferativo e maturação. É no segundo, que as fibras de colágeno trabalham a sua mágica e formam um novo tecido. 

No entanto, no caso do queloide, é como se, ao invés de parar o trabalho quando fechasse o ferimento, o colágeno continuasse, criando camadas e camadas além das originais.

O resultado disso é uma cicatriz alta, grossa e com a aparência “estranha” ou deformada.

O que causa queloide?

Não se sabe ao certo o que causa o queloide, alguns estudos apontam uma maior incidência em pacientes com alto número de células melanócitas, que produzem melanina e são responsáveis pela pigmentação da pele, assim como uma predisposição genética ao surgimento das cicatrizes queloidianas. Também é mais comum em pessoas entre 10 e 30 anos.

Mulher com o braço cruzado, sentindo os sintomas do queloide perto do cotovelo
Quais são as principais causas?

Ela é mais comum em regiões com maior concentração de células melanócitas – responsáveis pela melanina -, logo, a sua incidência é maior em pessoas de origens negróides (negros e pardos) e mongolóides (amarelos).

Não há casos confirmados em pessoas albinas, já em pessoas de origens caucasóides (brancas), há incidentes em menor número.

Além disso, há estudos sobre a maior ocorrência em pacientes com hipertensão arterial severa – que é mais vista em pessoas negras.

Contudo, a ocorrência nesses pacientes ainda está sendo estudada, logo não dá para saber se, de fato, a hipertensão arterial severa causa o queloide, podendo ser somente uma correlação, visto que esta é mais comum nas populações que naturalmente possuem maiores números de células melanócitas.

Outro fator interessante, é que ele dificilmente acontece em pessoas com mais de 65 anos e tem uma maior incidência em mulheres, levando a crer que tenha uma relação com o nível hormonal.

Como fica a queloide na orelha?

O queloide pode surgir em diversas partes do corpo, entre elas a orelha. Geralmente, nessa região, ele aparece devido ao uso de piercings e brincos, e pode formar desde uma pequena elevação ao redor da jóia até um grande excesso de pele que atrapalha em atividades cotidianas, sendo necessário removê-lo.

Cirurgia para retirada de queloide na orelha
Como fica?

Esse excesso de tecido na orelha pode causar grande constrangimento e desconforto na hora de dormir, trocar de roupa ou prender o cabelo, por exemplo.

Por ser uma área bastante vascularizada, a cicatriz queloidiana pode ficar dolorida e sensível, logo, além da vergonha que a paciente sente, ela ainda pode ter dores recorrentes.

Como fica o queloide no nariz?

O queloide no nariz pode aparecer por feridas, colocação de piercings e cirurgias na região. Ele pode ficar como uma pequena bolinha ao redor da jóia, ou uma grande elevação, causando constrangimento devido a dificuldade de esconder a área.

Mulher de perfil, mostrando o queloide no nariz
Veja:

Pelo nariz ficar, literalmente, no meio do rosto, é mais difícil disfarçar, tornando esse um grande pesadelo para a paciente que sofre com essa condição, podendo trazer muitas inseguranças. 

Além disso, o queloide no nariz também pode vir acompanhado de muitos desconfortos e até dores, como sensação de queimação e coceiras ou perda de sensibilidade. 

É possível ter queloide no piercing?

O uso de piercings está entre as principais causas do aparecimento de queloides. Isso porque a perfuração resulta em uma ferida, e com a ação natural do organismo de cicatrizar aquela lesão, a queloide – que nada mais é do que uma formação tecidual em excesso – aparece.

Rosto de mulher com o cabelo atrás da orelha, com queloide no piercing entre o nariz e a boca
Olha só:

Por mais que seja comum o aparecimento em piercings, o ato de colocar a joia em si não é o que causa a cicatriz queloidiana, mas sim a predisposição da paciente em ter esse tipo de cicatriz.

Você sabia?

O aparecimento de queloides em áreas como o mamilo são bem raros, mesmo com o piercing na região e com predisposição. Ainda não houve esclarecimentos do porquê elas não aparecem com frequência nessa área, mas há relatos de pacientes com cicatrizes queloidianas nos seios que “empurraram” a pele areolar e respeitaram o limite do mamilo.

É possível ter queloide na tatuagem?

É possível ter queloide na tatuagem. O processo de cicatrização da tatuagem é como o de qualquer ferida, a pele é lesionada e precisa se recuperar, a única diferença é que, neste caso, é adicionada uma tinta sob a pele. Por isso, caso haja uma predisposição, a formação de uma cicatriz queilodiana pode acontecer.

Mulher de camiseta rosa e calça jeans, com a mão no peito, com a boca aberta assustada que pode ter queloide na tatuagem em seu braço esquerdo
É possível, sim!

Há casos de cicatrizes queloidianas em toda a extensão da tatuagem, literalmente cobrindo a parte tatuada inteira.

Apesar dessa falha no processo de cura da pele ser algo muito mais relacionado à genética, ela também pode ser influenciada pela falta de proteção e cuidados adequados, por isso, sempre siga todas as recomendações direitinho.

Como fica o queloide na cesárea?

A cesárea, como qualquer outra cirurgia, pode apresentar uma cicatriz queloidiana em pessoas que já possuem uma predisposição à formação dessa cicatriz. Ela pode apresentar um aspecto rosado e mais escuro, e é comum que coce e fique dolorida.

Dedo apontando para queloide na cesárea
Veja como fica:

Infelizmente, não é possível detectar a predisposição para formação de queloides até que essa anomalia se manifeste. Normalmente, costuma aparecer entre 3 e meses após o procedimento. 

Agora, se você já tem uma cicatriz queloidiana ou tem casos na família, pode iniciar um tratamento preventivo. 

É interessante notar, que a incidência de cesárea com queloide é consideravelmente maior, enquanto a ocorrência em mulheres na menopausa seja menor, levando a crer que pode haver alguma ligação entre os hormônios e a formação dessa cicatriz, como já mencionamos acima.

Como evitar queloide?

Não há como evitar completamente o queloide em cicatriz, uma vez que é impossível ter certeza de que ele irá se manifestar. Contudo, existem tratamentos que ajudam a prevenir que essa cicatriz apareça, são eles: hidratação e repouso adequados, fitas de silicone, pomadas, aplicação de corticóides e betaterapia.

Mulher de camisa verde e óculos, sentada na mesa da sala sorrindo enquanto pesquisa como evitar queloide no notebook
É possível?

No entanto, esses tratamentos devem ser acompanhados por médicos de forma individual, já que cada organismo reage de uma maneira diferente e pede por tratamentos personalizados.

Abaixo falaremos mais sobre cada um deles.

Mas como saber se eu tenho essa predisposição? E como evitar o queloide em cicatriz? 

É impossível saber se alguém tem ou não. Mesmo que exista pessoas em sua família que tenham essas cicatrizes, nada garante que você também as tenha.

É como um grande jogo de loteria genético que, dessa vez, a maioria das pessoas não quer ganhar.

A única forma de saber se a pessoa tem a predisposição para o surgimento das cicatrizes queloidianas é, literalmente, se machucando. Somente com uma ferida, um piercing ou uma tatuagem é possível descobrir se uma pessoa possui esse tipo de cicatriz.

E se não dá para saber se há a possibilidade dessa cicatriz inestética aparecer, não há como evitar a primeira, apenas como remover o queloide já formado.

Quais são os sintomas de queloide?

Os sintomas mais frequentes de queloide são: coceira, dor, queimação e infecção, que pode se agravar para uma ulceração, sendo o primeiro mais comum, aparecendo em até 74% dos casos. Mas o que mais chama atenção é o crescimento contínuo e intermitente dessa cicatriz, que ultrapassa a linha original da ferida.

Mulher com coceira na cicatriz com queloide no braço
Veja quais são os mais comuns.

É importante que a paciente note o desenvolvimento da ferida, perceba quais são os sintomas que aparecem e note se há algo estranho na cicatrização. 

Fique atentas aos seguintes sintomas:

  • A cicatriz não ficou mais discreta após dois meses, pelo contrário, ela está maior do que a ferida original.
  • A cicatriz ficou, inicialmente, com um aspecto rosado e depois de um tempo escureceu.
  • Sensação de queimação ou coceira ao redor da ferida, além do esperado durante o processo de cicatrização, quando é formada a famosa “casquinha”.

Algo que pode ajudar na descoberta é conversar com pacientes que sofrem com a aparição dessas cicatrizes.

Esse tipo de troca é importante para ajudar a entender os sintomas da queloide e iniciar um possível tratamento o mais cedo possível. 

Aqui na Dream Plastic, temos o maior grupo de pacientes de cirurgia plástica do Brasil, com mais de 115 mil mulheres trocando experiências, fotos, dicas e muito mais.

Ficou interessada? Para fazer parte é bem fácil, basta clicar no banner abaixo e enviar a sua solicitação.

Queloide

Atenção! Este é um grupo exclusivo para mulheres, e é monitorado para não permitir a entrada de fakes, homens e crianças, assim, criamos um ambiente seguro e confortável para todas.

Queloide dói?

Dependendo da região em que a queloide apareceu e está localizado, ou se está cronicamente irritado, pode, sim, doer, coçar e se tornar muito incômodo. Além disso, se nascer em locais com articulação, pode causar tensão no tecido, interferindo no movimento do corpo.

Mulher de regata branca com dor no queloide no cotovelo
Ela pode, sim, doer.

Imagina só, ele é um tecido que vai além da superfície plana da pele, logo, pode roçar em roupas, bater em locais e ficar entre movimentações do braço, por exemplo. 

Ou seja, vai causar incômodo e dor em algum grau, dependendo da sua localização e extensão.

Queloide coça?

Um dos principais sintomas do queloide é a coceira. Quando a ferida está cicatrizando, é normal que coce levemente, já que a região está irritada e dolorida, e a coceira é a forma mais leve de dor. Mas quando o sintoma vem em demasia e de forma prolongada, é preciso ficar atenta a qualquer alteração.

Mão passando algodão com água na outra, para a cicatriz queloidiana não coçar
Esse é um dos principais sintomas.

Para diminuir os riscos de formar um queloide, o ideal é sempre não coçar. A saída para isso é pressionar um tecido liso, úmido e limpo na região que está coçando para aliviar a sensação.

Lembre-se: além de colaborar no crescimento da anomalia, coçar a ferida ainda causa maior risco de infecção, já que nossas unhas e mãos podem estar infectadas com bactérias, vírus e fungos.

Queloide tem cura?

Por enquanto, ainda não foi encontrada uma cura definitiva para eliminar o queloide do organismo. O que pode ser feito é recorrer a tratamentos que amenizam ou evitam a aparência desse tipo de cicatriz. Entretanto, aqueles que são maiores podem se tornar mais difíceis de tratar e são esteticamente desagradáveis. 

Por mais que a ciência tente há décadas mapear o surgimento e atribuir, não só uma causa definitiva da hiperprodução de colágeno, como também uma cura eficaz para essas cicatrizes, ainda existem muitas lacunas.

Isso significa, infelizmente, que teremos que conviver com essa situação mais um pouco.

O que se deve fazer, enquanto isso, é sempre levar em consideração o histórico familiar da pessoa.

Como tratar o queloide?

É possível tratar o queloide durante o estágio de cicatrização, antes que ela se forme completamente, mas após a formação é impossível diminuí-la. As principais ferramentas de tratamento para essas cicatrizes são: fitas de silicone, pomadas, aplicação de corticóides, laser e betaterapia.

Paciente e médica segurando uma prancheta e uma caneta, sorrindo enquanto conversam sobre como tratar um queloide
Saiba como:

Mas existem outros métodos que estão sendo melhor estudados, como a crioterapia. Clique no link para ver o artigo completo!

O uso da toxina botulínica também está sendo cada vez mais comum para garantir uma boa cicatrização.

Diferente das cicatrizes hipertróficas, o queloide não apresenta retração, não diminuindo com o passar dos anos, por isso, é necessário um tratamento específico.

Bora dar uma olhadinha em alguns desses métodos de como tratar um queloide?

Fita de silicone funciona?

A fita de silicone para queloide funciona como uma barreira física para o crescimento da cicatriz queloidiana, além de manter a área limpa e com o nível de hidratação certa, sendo muito eficaz quando usada de forma correta, desde o início da cicatrização e com a indicação de seu médico.

Mulher com a calça jeans aberta. puxando a fita de silicone para queloide na cicatriz de cesárea
Veja:

Aqui nós explicamos melhor sobre como funciona a fita para cicatrizes e queloides.

Esses produtos são usados como uma forma de prevenção e devem ser removidos na hora do banho. Além disso, a recomendação é que a fita adesiva para queloide seja usada assim que a ferida estiver fechada, por três meses.

A vantagem da fita para queloide é que elas são enriquecidas com óleo mineral, capaz de manter a cicatriz hidratada e evitar aquelas coceiras super incômodas.

As tiras de silicone devem ser cortadas no tamanho certo para cobrir toda a área que será tratada e deve permanecer ali por, no mínimo, 12 horas por dia. 

Pomada para queloide funciona?

A pomada para queloide, como a kelo-cote e contractubex podem funcionar, porém elas precisam de certos cuidados, como não entrar em contato com roupas e sofrer exposição solar. Entretanto, mesmo elas funcionando e sendo indicadas por médicos, ainda não são a forma mais eficaz de tratamento.

Pomada para queloide Skinmatix
Será que funciona?

Conheça algumas das melhores marcas de pomada para queloide, que são as mais indicadas pelos dermatologistas:

  • Skimatix é um gel de silicone, com secagem rápida, que serve tanto para prevenir como para suavizar e alisar o aspecto de uma queloide de cicatriz.
  • Pomada kelo cote é feita a base de corticoides, por isso a sua ação é eficaz para diminuir as cicatrizes e melhorar sua aparência.
  • Pomada contractubex tem o objetivo de melhorar a qualidade da cicatrização e serve para tratar queloide e também a cicatriz hipertrófica.

Vamos entender mais a fundo as pomadas cicatrizantes?

A pomada Kelo cote funciona?

A pomada Kelo cote para queloide funciona quando usada como um tratamento contra o aparecimento de queloides, já que ela possui corticóides que inibem a proliferação excessiva de colágeno. No entanto, ela não consegue diminuir uma cicatriz queloidiana já completamente madura. 

Kelo cote para queloide
Veja:

Mas não se esqueça de perguntar ao seu médico qual é a melhor opção para o seu caso. Pois, quando esses produtos são aplicados incorretamente e sem indicação médica podem piorar o quadro e até provocar lesões.

A pomada contractubex é boa?

A pomada em gel contractubex promete uma melhor cicatrização. Ela possui propriedades anti-inflamatórias, antibacterianas e antialérgicas, além de impedir que ocorra a formação de cicatrizes anômalas, dentre essas o queloide. Contudo, ela deve ser usada como forma de tratamento, já que não surte efeitos em cicatrizes maduras.

Pomada Contractubex para queloide
Veja:

Além disso, ela também ajuda no relaxamento das fibras ao redor da lesão, pois hidrata o tecido, diminuindo eventuais desconfortos. 

Lembrando que a utilização da contractubex deve ser feita mediante a indicação médica, já que o uso incorreto pode acarretar em alergias e lesões na pele, piorando o quadro.

Como funciona a injeção de corticóide para queloide?

Quando falamos de tratamento para queloide, as injeções de corticóides são uma das formas mais eficazes. Ao serem aplicadas na área da cicatrização, elas inibem a proliferação de fibroblastos e de colágeno, impedindo o crescimento desenfreado da cicatriz.

Mãos com luva aplicando injeção de corticoide para queloide
Será que funciona?

Essa técnica, quando feita algumas vezes, geralmente cerca de 3 sessões, uma a cada mês, ajuda tanto a prevenir quanto a reduzir o seu tamanho, aliviar a coceira e a dor. 

Os especialistas também utilizam essa aplicação dias antes da cirurgia para remover o queloide, pois o corticoide triancil faz a cicatriz diminuir e isso facilita no momento da remoção cirúrgica.

Contudo, o triancil deve ser aplicado somente por um médico especializado.

Com a cirurgia para retirada de queloide e o tratamento preventivo certo, é possível ver um bom antes e depois!

A injeção de Triancil para queloide funciona?

Um dos principais tratamentos para queloide é através da injeção de triancil, que deve ser ministrada por profissionais de acordo com a dosagem indicada pelo médico. O triancil inibe a proliferação de colágeno que causa o crescimento desenfreado da cicatriz.

Caixa que explica como aplicar triancil, com o frasco e e seringa
Mas e os efeitos colaterais?

Contudo, como qualquer medicamento, as injeções de triancil podem causar efeitos adversos, como a retração da pele na área aplicada, que pode, ou não, ser permanente.

Por isso, é preciso que esse tratamento seja indicado por um médico, e que o especialista da área da saúde tenha experiência em como aplicar triancil na queloide.

Como é o tratamento com betaterapia para queloide?

A betaterapia é considerada um dos tratamentos mais eficazes para queloide. Esse método atenua a fibroplasia, através do contato de uma placa metálica radioativa com a cicatriz, é completamente indolor e é indicado que se inicie 48h depois do procedimento. Por usar uma frequência de radioterapia para queloide, o tratamento deve ser acompanhado por um radioterapeuta.

Médica preenchendo papel em prancheta, conversando com paciente sobre a betaterapia
Esse é o melhor método.

No tratamento é usado uma placa metálica radioativa, porém pela energia ser baixa, não há penetração de radiação na derme, tornando a radioterapia para queloide completamente segura.

Geralmente, é necessário de 4-10 sessões de 30 minutos para surgir eficácia e ver um bom antes e depois da betaterapia.

Ao ser combinada com a cirurgia, é possível observar que a recorrência do queloide cai para 10-30%, enquanto somente com a cirurgia, a possibilidade da cicatriz anômala retornar era de 45-100%.

Já com as injeções de corticóides a possibilidade de retornar é de cerca de 50%.

A gente sabe que o termo radiação pode assustar muita gente, mas você não precisa se preocupar!

A betaterapia é extremamente segura, a radiação é super baixa e não se espalha pelo corpo. 

Como tirar o queloide?

Só é possível tirar completamente um queloide já formado através de cirurgia, porém, após a retirada, é muito provável que irá crescer um novo no lugar. Por isso, é necessário realizar algum tratamento para reduzir a chance dele aparecer novamente.

Médica analisando como tirar queloide em ombro de mulher
Mas a betaterapia não funciona se feita sozinha, veja:

Para isso, é preciso fazer a remoção da cicatriz anômala, realizar uma nova sutura e iniciar tratamentos com fita adesiva para queloide, corticóides ou betaterapia para garantir que não tenha um novo quadro.

Como já se sabe da existência de uma predisposição, e que sem um tratamento a cicatriz queloidiana irá aparecer, o procedimento para remoção de cicatriz anômala, nada mais é que um reset da cicatrização e uma nova recuperação com os cuidados devidos para evitar a formação de um queloide. 

Veja mais sobre o tratamento de cicatrizes neste artigo.

Como é a cirurgia de reparo da cicatriz queloidiana?

Na cirurgia de queloide é preciso remover a cicatriz por inteiro através de uma excisão, que é a retirada de uma parte da pele, a igualando e removendo toda a área afetada. Depois, é feita uma nova sutura, preferencialmente com pontos intradérmicos. Então, pode ser iniciado o tratamento para evitar que uma nova cresça. 

Ilustração que mostra o passo a passo do melhor tratamento para queloide, a cirurgia. Desde o corte ao redor da cicatriz até os pontos e a sua cicatrização correta
Veja só:

Entretanto, alguns especialistas não recomendam a intervenção na ferida, pois ela pode deixar outro sinal ainda maior. Mas essa chance será reduzida se a cirurgia para retirada de queloide for associada a um tratamento de radioterapia para queloide de cicatriz, mais conhecido como betaterapia. O ideal é que inicie esse procedimento no dia seguinte ao procedimento.

É claro que, se a paciente já souber que ela possui predisposição ao surgimento do queloide, ela pode iniciar o tratamento logo na primeira vez, evitando assim a necessidade de uma cirurgia e de uma nova recuperação.

Mas, infelizmente, a maior parte das pessoas ainda não sabe que tem tendências a esse tipo de cicatrização.

Quem tem tendência pode fazer cirurgia plástica?

Quem tem tendência a queloide pode fazer cirurgia plástica, mas é importante que converse com o cirurgião antes para que ele indique um tratamento preventivo após o procedimento. Dessa forma, a paciente reduz muito as chances de ter um queloide.

Mulher de biquíni azul deitada em espreguiçadeira, sorrindo feliz após a cirurgia reparadora de cicatriz queloidiana
Pode, mas deve ter alguns cuidados.

Na cirurgia plástica, naturalmente, o cirurgião toma mais cuidado com a estética da cicatriz, logo, ele toma decisões que favorecem uma cicatrização mais bonita.

Mas, como você viu nesse texto, a causa do queloide não é um erro médico, mas sim uma predisposição genética da própria paciente, logo, não é possível prever que vá surgir esse tipo de cicatriz.

Ainda tem dúvidas se você tem ou não um queloide? 

É importante falar com médicos especialistas sobre essa tendência, ainda mais se você pensa em fazer uma cirurgia plástica!

Já imaginou deixar de realizar seu grande sonho por causa de algo que é tratável?

Por isso, recomendamos que você clique no ícone do WhatsApp e marque um horário com um de nossos cirurgiões especialistas –  totalmente sem compromisso – dessa forma você consegue sanar toooodas as suas dúvidas e saber mais sobre como pode realizar seu sonho com segurança e ter um resultado lindo.

Ah! Quer saber mais sobre cirurgia plástica? Clica no link e veja nossos demais artigos!

Esclareça suas dúvidas!

Gostou de saber mais sobre o queloide? Então ajude aquela sua amiga que ainda tem medo de desenvolver essa cicatriz, compartilhe com ela clicando nos botões abaixo!