Como evitar Trombose Venosa Profunda após um procedimento cirúrgico

31 de agosto de 2017
Tempo de leitura: 10 minutos

Baixe seu e-book gratuito!

trombose venosa profunda

 

A Trombose Venosa Profunda, ou apenas “trombose” como é popularmente conhecida, caracteriza-se pela formação de coágulos sanguíneos (trombos) no interior das veias, geralmente nas pernas.

A trombose costuma assustar muita gente, especialmente para quem vai fazer ou está na fase de pós-operatório de uma cirurgia plástica.

Você sabe como evitar trombose após a cirurgia plástica?

Mesmo escolhendo um cirurgião experiente, existem algumas coisas que não podem ser controladas. As reações do organismo é uma delas.

Mas ao seguir alguns cuidados durante o pós-operatório você pode minimizar o desenvolvimento de uma trombose venosa profunda. Isso mesmo é possível minimizar, porque evitar 100% não tem como, já que é uma reação própria do organismo.

Isso porque a doença tem como uma de suas causas a falha na circulação sanguínea. Por isso realizar pequenas caminhadas é uma recomendação fundamental.

E não é só isso! Confira outras dicas e cuidados indicados pelos profissionais especialistas em casos de TVP da Dream Plastic – Clínica de Cirurgia Plástica em São Paulo.

 

 O que é trombose?

o que é trombose

A trombose venosa profunda é a terceira doença mais frequente do sistema cardiovascular. É causada pela formação de coágulos (trombos) no interior das veias profundas, artérias ou até mesmo no coração.

Se você já se perguntou o que é trombose venosa profunda, com certeza se deparou com os seguintes termos: veia entupida, perna quente, estase venosa, entre outros.

Pois é, a trombose nada mais é do que uma veia entupida, na qual os trombos funcionam como se fossem rolhas, bloqueando o sistema venoso e impedindo ou dificultando a circulação sanguínea.

 

O que causa trombose?

Ao contrário do que muita gente pensa por aí, o começo de trombose não acontece exclusivamente devido à cirurgia plástica.

Na verdade coincide que, logo após o procedimento cirúrgico, muitas pacientes fazem repouso absoluto por acreditarem que esta é a melhor recomendação. Infelizmente, a falta de conhecimento pode trazer sérios ricos, inclusive o aparecimento da trombose venosa profunda.

Portanto, a trombose pode surgir mesmo em pessoas que nunca passaram por um procedimento cirúrgico. E isto comprova que a doença não é acarretada pela cirurgia plástica, mas está relacionada com:

  • A diminuição do fluxo sanguíneo, isto é, a circulação do sangue fica mais lenta
  • A danificação da parede do vaso sanguíneo (lesões endoteliais)
  • O aumento da viscosidade do sangue, se tornando mais denso

Quando o sangue flui muito lentamente, quase parando, acontece a chamada estase venosa ou estase sanguínea. O principal motivo que leva a diminuição do fluxo é a falta de exercícios ou ao permanecer um longo período parado. Sendo que neste caso até viagens prolongadas e cirurgias estendidas se tornam um grande vilão da circulação.

Justamente aí que mora o perigo! Já que um coágulo no sangue pode se formar quando o fluxo sanguíneo for muito devagar.

 

Fatores que podem gerar os primeiros sinais de trombose

o que causa trombose

A Trombose Venosa e o Tromboembolismo Pulmonar é a principal complicação grave em Cirurgia Plástica. E isso não tem nenhuma relação com a qualidade da equipe médica envolvida.

A probabilidade de ocorrer uma trombose venosa profunda está relacionada com a presença de situações de risco em que a paciente se encontra.

Em condições normais, o sangue possui a tendência natural de coagular para evitar hemorragias. Entretanto, alguns fatores são responsáveis por desencadear ou favorecer a anomalia, como:

  • Obesidade
  • Predisposição genética
  • Varizes de membros inferiores
  • Consumo de álcool e fumo
  • Idade superior a 40 anos
  • Uso de anticoncepcionais
  • Falta de movimentação
  • Gestação e puerpério
  • Doenças genéticas do sistema de coagulação do sangue
  • Diabetes
  • Traumatismos ou politraumatismos
  • Cirurgias e hospitalizações prolongadas
  • Anestesia geral

 

Tromboembolismo pode acontecer com você?

 

Tromboembolismo

 

Tromboembolismo é o termo utilizado para se referir à combinação das duas doenças: a trombose venosa profunda (TVP) e a embolia pulmonar (EP).

A embolia pulmonar é a obstrução das artérias do pulmão. Ou seja, eventualmente, o trombo pode se soltar e ser carregado pelo fluxo sanguíneo. Uma vez solto do revestimento da veia ou da artéria, o trombo se torna um êmbolo.

Ele circula livremente pelo sangue até que os vasos se afunilem, impossibilitando sua passagem. Preso, o êmbolo entope o vaso e interrompe a circulação sanguínea.

Se ele chegar até uma das artérias do pulmão, então pode acontecer uma Embolia Pulmonar. É neste momento em que a dor torácica e a falta de ar pode se manifestar.

Porém, se o êmbolo passar sem dificuldades pelo pulmão, qualquer parte do corpo estará sujeita a ter uma veia entupida. Em casos extremos, pode ser fatal.

A embolia pulmonar (EP ou TEP) é complicação mais grave da TVP, clique aqui e conheça mais sobre o assunto.

 

Trombose nas pernas

 

Trombose nas pernas

 

Se uma de suas pernas está vermelha e você sente um calor intenso na região, este pode ser um grande indício de trombose venosa profunda.

A trombose nas pernas se torna profunda onde a circulação costuma ser pior, como nas panturrilhas e nas coxas. Por ser uma região que está distante do coração, o fluxo de sangue é mais devagar que no restante do corpo.

Além disso, o sangue precisa agir contra a gravidade para chegar de volta no coração. Por isso, é comum a formação de trombos nas veias das pernas.

Quando a aparência da perna está vermelha, há indícios que ali tem uma veia entupida, causando a morte das células e a falta de circulação do sangue. Ao detectar qualquer anormalidade, principalmente dor na panturrilha, deve-se procurar imediatamente um médico, para que você possa receber o devido tratamento.

Veja a seguir quais os sintomas de trombose nas pernas que você deve ficar atento.

 

Conheça alguns sintomas de trombose nas pernas:

  • Aumento de tamanho das varizes da perna, ficando com a aparência azulada e dura. Nesse caso, costuma-se sentir muita dor na veia da perna.
  • Perna vermelha e quente, muitas vezes com a sensação de calor nas pernas insuportável.
  • Formigamento na perna, que pode subir até a virilha.
  • Perna dura e rígida, que pode ser facilmente notado ao tocar o local.

 

Ao sentir qualquer sintoma de trombose venosa profunda, juntamente, com falta de ar e dor no peito, procure imediatamente um pronto-socorro. Pois, o tratamento de tromboembolismo deve ser iniciado rapidamente.

 

Qual é o exame para detectar trombose?

Antes de falar do diagnóstico, vale ressaltar que o problema com as varizes quase sempre surge quando há algum histórico na família. Contudo, a genética aliada aos péssimos hábitos de vida, ou seja, sedentarismo e má alimentação são fatores que vão acelerar o desenvolvimento das temidas varizes.

Como já foi dito, ao perceber os sintomas de trombose você deve procurar imediatamente um médico. E este deverá solicitar alguns exames para saber se o seu caso é ou não trombose.

Somente ao ser diagnosticado cedo, que é possível dizer se a trombose tem cura. Pois, dependendo da gravidade ela pode até levar a morte.

 

Conheça alguns exames de trombose que podem ser solicitados:

Ultrassom: para identificar os locais em que há coagulação de sangue.

Exame de sangue: para verificar a presença de substâncias na corrente sanguínea que podem levar a formação de trombos.

Venografia: um exame que é injetado um corante nas veias para identificar locais de coagulação.

Tomografia e exames de ressonância magnética: também podem ser solicitados, já que por meio deles é possível ver imagens dos vasos e identificar possíveis coagulações.

 

Trombose nas pernas, como tratar?

Trombose nas pernas como tratar

 

É recomendável que o tratamento comece no início de trombose ou o mais rápido possível para evitar que o coágulo aumente ou se desloque até os pulmões, provocando uma embolia pulmonar.

Para tratar o tromboembolismo é preciso estimular a circulação sanguínea. Isso pode ser feito com o auxílio de anticoagulantes ou de meias de compressão.

Os remédios para trombose atuam diretamente no sangue, inibindo a coagulação de sangramentos, diluindo o coágulo e evitando que se formem em outros locais.

Durante o tratamento de anticoagulante, também será feito exames para avaliar a espessura do sangue e evitar hemorragias ou anemia, por exemplo.

O remédio mais indicado para trombose nas pernas é o uso das meias de compressão, que pressionam as veias para ajudá-las a forçar a subida do sangue de volta ao coração.

Além disso, é preciso mesclar pequenas caminhadas ao tratamento para trombose, desse modo, ajuda a evitar que o problema volte a surgir.

Uma dica que os médicos dão é, todos os dias, deitar-se e erguer as pernas para o ar, usando a gravidade para auxiliar o fluxo sanguíneo.

Nos casos que apresentam sintomas mais avançados de trombose na perna, em que os remédios anticoagulantes não são capazes de tratar, o médico recorre à injeção para trombose. Durante o tratamento, o paciente deve ficar internado no hospital e a injeção para trombose será aplicado diretamente na veia.

Em último caso, para realizar o tratamento de trombose venosa profunda, o médico indica a cirurgia. Somente assim será possível retirar o coágulo das pernas e colocar um filtro na veia, impedindo a passagem do coágulo para os pulmões.

 

Dicas de como evitar trombose

 

como evitar trombose

 

Existem algumas dicas que podem ajudar a prevenir a trombose no braço, perna, coxa ou em qualquer parte do corpo.

Evite roupas muito apertadas: o uso de meias elásticas compressivas é um forte aliado na prevenção da trombose, melhorando a circulação e aliviando os sintomas de cansaço nas pernas.

Pare de fumar: os componentes do cigarro causam lesões nas veias e artérias e por isso, é indispensável parar de fumar, principalmente antes de se submeter a um procedimento cirúrgico, seja ele qual for.

Controle seu peso: alguns alimentos, especialmente frutas e legumes, são capazes de prevenir a agregação de plaquetas e a formação de coágulos sanguíneos. Daí a importância de uma alimentação saudável e, é claro, a prática de atividades físicas regulares, a fim de manter a circulação do sangue ativa.

Não fique muito tempo parado: mantenha-se em movimento e não permaneça durante muito tempo em uma mesma posição para não prejudicar a sua circulação.

Caso não possua tempo de fazer caminhadas diárias, pratique exercícios simples para a região das panturrilhas. Um bom exemplo consiste em movimentar os pés para cima e para baixo: é eficiente e pode ser feito sentado, deitado ou mesmo em pé.

 

No caso da Cirurgia Plástica, as medidas para evitar trombose são:

 

trombose

 

Antes de qualquer coisa, ainda na fase de pré-operatório, orientamos que você escolha um profissional habilitado pela Sociedade Brasileira de Cirurgiões Plásticos.

Analise, juntamente com o seu cirurgião, os potenciais riscos durante e depois da operação, faça todos os exames necessários e, principalmente, informe-se sobre as etapas que devem ser seguidas à risca após o procedimento.

Isto porque o sucesso de uma cirurgia plástica não está relacionado apenas com a experiência do cirurgião. Há muitos cuidados que podem ajudar a aumentar as chances de ter um resultado bonito, além de evitar complicações.

Por exemplo, você sabia que o uso de anticoncepcionais deve ser interrompido dias antes do procedimento cirúrgico? Pois é, essa é uma recomendação feita pelo cirurgião, já que o anticoncepcional (pílula, injeção, adesivo) pode aumentar o risco de trombose.

Além disso, o médico pode optar pelo Sequel durante o procedimento cirúrgico. Esse aparelho é colocado nas pernas da paciente e funciona como um compressor pneumático. Ele simula uma caminhada e mantém a circulação da perna ativa.

Veja algumas orientações que você deve seguir durante o pós-operatório, apesar de básicos, elas valem para quase toda cirurgia plástica.

  • Fazer pequenas caminhadas: assim que o médico liberar, a paciente recém-operada deve caminhar devagar. Respeite os seus limites, para os pontos da cicatriz não abrir.
  • Elevar as pernas:durante o repouso, mantenha as pernas elevadas a 45 graus. Esta técnica facilita o retorno da circulação e diminui o inchaço dos membros inferiores.
  • Usar meia elástica: o médico pode recomendar o uso das meias de compressão depois do procedimento.
  • Manter-se sempre hidratada: a desidratação ajuda a engrossar o sangue, aumentando o risco de trombo. Por isso, ingira bastante líquido, principalmente água. Tome, pelo menos, três litros por dia.

 

A Dream Plastic disponibiliza todas essas orientações para as suas pacientes, que poderão ou não ser adotadas conforme o perfil de cada paciente e o tipo de cirurgia a ser realizada (tempo de duração). Esse perfil será definido nas consultas de pré-operatório com o anestesista e o cirurgião plástico.

Na eventual hipótese de ocorrência de TVP ou TEP, o tratamento pode ser realizado com anticoagulantes ou fibrinolíticos. Esses medicamentos impedem o crescimento dos trombos atuais e evitam o surgimento de novos.

 

Quer conversar com um cirurgião especializado? Marque uma visita e venha conhecer a clínica de cirurgia plástica mais procurada pelas mulheres. Ligue para:

Marcar consulta trombose

 

 

Gostou desse artigo sobre Trombose Venosa Profunda?  Que tal ajudar mais pessoas com este conteúdo, clique no link e ajude a divulgá-lo. 

Compartilhe no Facebook

Baixe seu e-book gratuito!

Informações adicionais
Como evitar Trombose Venosa Profunda após um procedimento cirúrgico
Nome do artigo
Como evitar Trombose Venosa Profunda após um procedimento cirúrgico
Descrição
Trombose Venosa Profunda é uma doença causada pela formação de coágulos. Clique para descobrir quais os sintomas, como evitar e tratar a trombose.
Publicado por
Empresa
Plástica do Sonho

Como evitar Trombose Venosa Profunda após um procedimento cirúrgico Atualizado em: fevereiro 8th, 2018 por Dreamplastic



 

Deixe um comentário...

  Subscribe  
Notificar-me de
Responsável Técnico: Dr. Flávio Garcia, CRM-SP 104.850
Rua Vergueiro, 2949 – 14º andar – Vila Mariana

Dream Plastic® 2017 – Todos os direitos reservados – Clínica de Cirurgia Plástica em São Paulo