Síndrome Asia: tudo sobre a “Doença do Silicone”


Sindrome Asia mulher olhando seios

A Síndrome Asia tem deixado algumas mulheres preocupadas nos últimos tempos.

Porque, além de trazer efeitos potencialmente indesejados para o corpo, é uma doença difícil de ser identificada. Já que os seus sintomas são semelhantes aos de outras doenças, como a depressão.

E devido ao atual momento que estamos vivendo, a pandemia do Coronavírus, em que muitas pessoas estão em casa, as queixas dos sintomas aumentaram.

Claro que isso fez muitas mulheres se questionarem o que de fato elas têm. E gerou certas preocupações. Mas, calma, falaremos mais sobre o assunto da Síndrome Asia.

Continue lendo o texto para descobrir:

Afinal, o que é Síndrome Asia

 

mulher pensando sindrome asia

 

Asia é a sigla em inglês para o termo Sidrome Autimune Induzida por Adjuvante.

Essa é uma doença extremamente rara e autoimune provocada pelo contato da pessoa com um antígeno, ou seja, algo que nosso organismo reconhece como estranho.

O organismo, ao entrar em contato com esse antígeno, passa a atacar suas células saudáveis. Isso acarreta em diversos problemas externos e até mesmo em doenças, como vamos mostrar mais adiante.

A Síndrome de Ásia foi descrita inicialmente em 1998, porém ela só começou a ter maior visibilidade em 2011. Mas por ser tão rara, não se tem estatísticas confiáveis sobre sua incidência.

Para você ter uma ideia, Yehud Shoenfeld que é o único médico especialista em Síndrome ASIA, diz ter identificado apenas 300 casos da doença no mundo, até dezembro de 2016.

Pensando nisso, reunimos diversos materiais de estudos, pesquisas e, ainda, conversamos com médicos especialistas. A partir disso, montamos um guia completo para você entender melhor o que é essa doença.

Conheça as causas da Síndrome Asia

Muitas mulheres estão acreditando que a síndrome ASIA é causada pela prótese de silicone. Tanto que algumas já até chamam de “A Doença do Silicone”. Mas não é bem assim!

A causa da Síndrome Asia é genética. O que se comprova com um estudo científico sobre a doença. Nele foi possível concluir que apenas pacientes com genes HLA DRB1 e HLA DQB1 seriam capazes de desenvolver essa síndrome.

Quando pacientes com esse código genético entram em contato com determinados componentes, o antígeno que estava com a predisposição de manifestar o problema começa a reagir.

Entre os principais fatores que podem ativar a doença, estão:

    • Hormônios;
    • Óleo mineral;
    • Preenchimento com PMMA;
    • Silicone;
    • Alumínio (presente nos shampoos, maquiagens, desodorantes, tintura de cabelo);
    • Esteroides anabolizantes;
    • Vacinas, como a Influenza H1N1 e HPV, em decorrência de conter a substância escaleno em seu componente.

Asia: Síndrome por Silicone é um ERRO médico?

 

asia sindrome silicone medico consulta

 

A cirurgia do implante de silicone começou a ser realizada em 1962 nos Estados Unidos. Quando Timmie Jean Lindsey, moradora de Houston, foi convidada a fazer o primeiro teste de implante de silicone.

O procedimento foi um sucesso, Timmie, que nunca imaginou aumentar os seios, amou o resultado, sentimento que até hoje, 58 anos depois, continua o mesmo.

A partir do primeiro teste, a cirurgia ganhou visibilidade e sucesso entre as mulheres.

Com o tempo e sua popularidade, surgiram estudos para verificar os riscos do implante. Foi quando descobriram que a prótese trazia apenas risco de ruptura e contratura (rejeição).

Sendo um número muito baixo, em 10 anos foram apenas 0,8% dos casos que tiveram rejeição. Lembrando que não inclui a Síndrome Asia.

A Síndrome Asia, por ter influência genética, é imprevisível para o médico. Já que não existem testes que possam ser usados em larga escala, sendo difícil observar previamente se a pessoa tem os genes que desenvolvem a doença.

Por conta disso, é importante entender que tanto a prótese de silicone como o médico que realizou o procedimento NÃO SÃO OS CAUSADORES da Síndrome Asia.

O corpo só reage de forma autoimune, quando o organismo está predisposto a se atacar no momento em que entra em contato com determinados antígenos, seja um silicone, seja uma vacina.

Um exemplo fácil para você entender melhor… Se imagine indo à manicure.  

Você quer estar com as unhas bonitas para ir numa festa. Então, escolheu o esmalte perfeito para combinar com o tom do seu vestido. Mas ao sair do salão, aconteceu algo totalmente inesperado!

A sua unha quebrou! Claro que isso não foi culpa da manicure. Não tinha como ela, e muito menos você, imaginar que algo assim poderia acontecer.

No caso da Síndrome Asia acontece a mesma coisa. O implante de silicone é um procedimento seguro, e as probabilidades de desenvolver a doença são extremamente raras. Basta comparar.

Dados comprovam a raridade da Síndrome Asia

De acordo com a pesquisa global da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica referente à 2019, apenas naquele ano foram realizados 1.841.098 procedimentos de aumento de mama, ao passo que, até 2016, Shoenfeld diz ter identificado no mundo todo apenas 300 casos da Síndrome.

 

dados comprovam raridade sindrome asia

 

Considerando que a doença foi descrita pela primeira vez em 1998, pelo médico alemão Gehard, podemos estimar que a probabilidade de ocorrência de Síndrome Asia é de 16 casos por ano no mundo.

Um número bem baixo quando comparado à quantidade de cirurgias plásticas realizadas anualmente, não é mesmo?

Esses dados apenas provam que a prótese de silicone não é a causadora da síndrome. Portanto, se você colocou prótese de silicone, não precisa ficar com medo de desenvolver a doença, pois ela é muito rara e depende unicamente do organismo de cada pessoa.

Você quer fazer parte de um grupo fechado de Cirurgia Plástica e conhecer histórias de mulheres que colocaram implante de silicone? Clique no botão abaixo e faça sua solicitação. Você vai encontrar histórias incríveis de pacientes da Dream Plastic!

Síndrome Asia

Mas e a Garantia das Próteses?

 

garantia protese silicone

 

Não são todos os fabricantes de prótese de silicone que trabalham com garantia. Porém, para os que oferecem essa segurança, é entregue um termo de garantia para a paciente assim que ela adquire a prótese.

Nesse documento vem especificado o período da garantia – que pode ser diferente para cada fabricante – e os casos em que ocorre a cobertura, que são apenas dois:

  • Contratura capsular: quando há casos de rejeição da prótese;
  • Ruptura: relacionado ao rompimento da prótese.

Isso não significa que a prótese não poderá e não deverá ser trocada nesse período de garantia. Porém, o termo assegura que, se dentro do prazo estabelecido pela fabricante, ocorrer algum dos dois casos, a empresa se compromete a dar outra prótese.

Todas essas garantias estão descritas de forma bem clara nos termos que a paciente recebe. Desse modo, permite a consulta sempre que precisar.

É importante lembrar que a garantia, no entanto, não abarca a questão da Síndrome Asia.

Sintomas da Síndrome de Asia

 

mulher dor sintomas sindrome asia

 

Muitas pacientes com suspeita de Síndrome Asia relatam sentir diversos sintomas, como:

  • Dores musculares;
  • Cansaço;
  • Perda de memória;
  • Queda de cabelo;
  • Febre.

Como você pode ver, esses são sintomas inespecíficos e muito comuns em diversas outras doenças, como depressão e fibromialgia.

A falta de diagnóstico preciso é um dos maiores motivos que dificultam a identificação da doença. E também é um dos fatores que fazem muitas mulheres acreditarem que estão com a doença, mesmo sem apresentarem um diagnóstico médico, o que é ERRADO.

O único que pode fazer um diagnóstico correto da doença é um profissional da saúde.

Se você estiver sentindo algum desses sintomas, não tome decisões precipitadas! Procure um médico, explique o que você está sentindo e a sua situação, assim ele poderá fazer uma análise completa do seu caso.

Síndrome de Asia: Diagnóstico

 

sindrome asia diagnostico medico

 

Independentemente da doença, o único que pode fazer um DIAGNÓSTICO CORRETO é o médico. Ainda mais para uma doença tão rara como a Síndrome Asia.

Você não deve praticar o autodiagnostico, mesmo comparando seus sintomas com relatos de outras pessoas ou por informações fornecidas na internet.

Como mostramos antes, a ASIA tem sintomas muito genéricos, portanto, o único que pode atestar o diagnóstico, tanto desta como de qualquer outra doença, é o médico. Sem sua avaliação, qualquer doença que você informar possuir não terá validade.

Atualmente, existem dois modelos de diagnósticos que podem ser feitos com base em alguns critérios:

 

A primeira sugestão de diagnóstico é por meio da exclusão dos critérios maiores. Nela são eliminadas as causas mais comuns dos sintomas apresentados, sobrando apenas os mais prováveis, como vamos mostrar adiante.

A segunda sugestão de diagnóstico acontece pela associação de dois critérios menores e um maior. Esse modelo envolve a coleta de biópsia do tecido comprometido e análise dos genes da paciente, para ver se são predispostos ou não.

É importante saber que esses critérios ainda não foram aceitos pela comunidade científica mundial. Portanto, podem evoluir bastante conforme as pesquisas vão sendo realizadas.

Importância do Diagnóstico Diferencial

A principal forma de se fazer o diagnóstico da Síndrome Asia é por EXCLUSÃO.

Devido aos sintomas serem genéricos e presentes em muitas doenças comuns, a confirmação é feita por meio da eliminação de todas as causas mais prováveis, como a depressão, para depois chegar na Síndrome Asia.

Depressão: Um diagnóstico diferencial importante!

 

mulher depressao

 

Pessoas que apresentam os sintomas de Síndrome Asia geralmente tendem a ter, na verdade, depressão. Essa é uma das doenças mais comuns no mundo!

Por isso, essa possibilidade aumenta caso a paciente tenha predisposição ou depressão diagnosticada.

Mas, e se os sintomas vierem acompanhados de dor? Nesse caso, pode ser depressão e fibromialgia, entidades que frequentemente aparecem juntas.

Por esse motivo é importante fazer o diagnóstico diferenciado para todas as possibilidades mais comuns antes de chegar a uma conclusão definitiva.

Para você ter uma ideia, a prótese de mama é usada desde a década de 60. Porém, o conhecimento e a preocupação pela Síndrome Asia só aumentou em 2020. E não foi porque cresceu o número de pessoas com a doença, afinal é uma doença raríssima.

Desde o início da pandemia do Coronavírus e o isolamento, o número de casos de depressão saltou de 4,2% em março, para 8% em abril. E o mesmo ocorreu com os índices de ansiedade, que saíram de 8,7% para 14,9%, como mostra a reportagem da CNN.

As pessoas que começaram a desenvolver doenças psicológicas e psiquiátricas, sem saber do que se tratava, passaram a pesquisar informações na internet.

Por esse motivo, ao se depararem com a Síndrome Asia e seus sintomas, passaram a acreditar que estavam com a doença. Mas na verdade a maior probabilidade é que seja depressão e ansiedade, causada pelo momento atípico que todos estamos enfrentando.

Todas as possibilidades já foram descartadas, e agora?

Uma vez que seu médico excluiu todas as outras causas e sobrou apenas a Síndrome Asia, o próximo passo é verificar qual foi o antígeno que causou a doença. Lembrando que não é porque a pessoa tem prótese de mama que a síndrome será causada pelo silicone. Para isso, devem ser verificados 2 fatores:

  1. Se há uma relação temporal: como toda doença autoimune espera-se que os sintomas surjam logo após a colocação do implante, ou após a vacinação, por exemplo. Dificilmente o corpo manifesta reação a um antígeno que já está lá há alguns anos.
  2. Descartar as causas mais comuns: como vacinas e anabolizantes. Pode ser que a pessoa tenha tido a Síndrome Asia por conta da vacina, e coincidentemente ela tem prótese. Isso não significa que a doença foi causada diretamente pelo implante, ela tem que considerar a vacina também.

Riscos da Síndrome Asia

Quando não tratada a tempo, a Síndrome ASIA pode levar à piora dos sintomas, desenvolvendo algumas doenças imunológicas.

Segundo estudo feito pelo médico Israelense, Yehuda Shoenfeld, com os 300 pacientes de Síndrome de Asia pelo mundo, por meio de um questionário, foi possível determinar que 89% dos casos acarretarem em alguma doença como DITC, lúpus eritematoso sistêmico, esclerose múltipla e reumatismo.

Tratamento: Síndrome Asia tem cura?

 

tratamento sindrome asia

 

Muitas mulheres acreditam que a Síndrome Asia é uma doença terminal, sem possibilidades de melhora. Mas estão enganadas!

O médico Shoenfeld, em entrevista à BBC Brasil, chegou a afirmar que essa não é uma doença terminal.

Na Síndrome Asia, tratamento pode ser feito de duas formas:

1) O primeiro tratamento para a doença consiste em retirar o antígeno do organismo da pessoa. Com esse procedimento, se o antígeno retirado for realmente o motivo da Síndrome Asia, o paciente sentirá uma melhora significativa e quase imediata sobre os sintomas, eliminando dores e desconfortos.

Em casos de a doença ter sido provocada pelo silicone, ocorre a retirada do mesmo para a melhora da paciente. Porém, antes de retirar é preciso ter certeza que o silicone foi o causador da Síndrome Asia. Pois, se ele não for o responsável, mesmo após retirá-lo a paciente continuará sentindo dores e desconfortos.

2) Porém, quando não é possível tirar o antígeno do corpo, é feito, em alguns casos, a Ozonioterapia. Esse procedimento está em testes e ainda não é aprovado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), portanto essa NÃO é uma recomendação que fazemos.

Como prevenir a Síndrome Asia?

Não é possível fazer a identificação do gene da Síndrome Asia de forma comercial. Os testes para sua identificação são apenas para estudos e pesquisas.

Porém, podemos concluir que o risco de desenvolver a Síndrome Asia por silicone é pouco significativo.

Dado a larga incidência que existe na colocação de prótese no mundo, desde a década de 60, com milhões e milhões de implantes já realizados.

Portanto, é possível afirmar que o implante de silicone não é totalmente isento de riscos ou de complicações, mas é um procedimento extremamente seguro.

Gostou do artigo sobre Braquioplastia? Que tal ajudar mais pessoas com este conteúdo, clique no link e ajude a divulgá-lo.

Compartilhe no Facebook


 
MARQUE SUA CONSULTA POR WHATSAPP




Quer receber informações confiáveis sobre cirurgia plástica?

Faça como milhares de mulheres, cadastre-se agora e receba dicas de médicos especialistas!