Gordura Visceral


Esclareça suas dúvidas!

O acúmulo de gordura na região abdominal de uma pessoa, certamente, é uma das grandes motivações para a mesma optar por uma cirurgia plástica para eliminar o excesso.

Gordura-Visceral--artigoPorém, o que nem todos sabem é que existem dois tipos de gordura em nosso corpo e que uma delas não é possível de ser retirada através da cirurgia plástica. Por isso, é importante ressaltar que a gordura “alvo” da lipoaspiração é a subcutânea, encontrada logo abaixo da pele e não a visceral, justamente a grande causadora de danos à nossa saúde.

As complicações que o excesso de gordura visceral, também chamado de barriguinha de cerveja ,  pode acarretar são inúmeras, entre elas, o aumento da probabilidade de diabetes, infartos ou derrames; a redução do bom colesterol (HDL) e aumento do ruim (LDL) e até maiores ocorrências de casos de câncer de intestino grosso, rins, endométrios e ovários.

Todos esses males tem uma explicação: a gordura visceral em excesso se concentra muito próxima de órgãos essenciais do nosso corpo, como o fígado, rins e pâncreas, e prejudica o funcionamento dos mesmos. Uma vez comprometidos, eles passam a prejudicar a saúde cardíaca da pessoa, deixando as paredes arteriais mais frágeis. Além de tudo isso, a gordura visceral impede a ação da insulina, o que justifica o aumento do risco de diabetes.

Uma colaboradora oculta para o acúmulo de gordura visceral no organismo é a chamada “gordura trans”, muito comum em alimentos como bolachas recheadas, sorvetes, salgadinhos de pacote e margarinas. A mesma é utilizada para realçar o sabor e prolongar o prazo de validade dos alimentos e, infelizmente, possui riscos muito pouco conhecidos pelas pessoas.Daí a importância de verificar a embalagem de qualquer alimento que irá ser consumido, a fim de evitá-las.

Uma das formas para saber se a quantidade de gordura do seu corpo está em níveis elevados, consiste em: medir a silhueta de sua cintura (na parte mais estreita) com uma fita métrica. No caso dos homens, mais do que 102 cm já é preocupante, para as mulheres, 88 cm.

Portanto, se a cintura da pessoa atinge esse nível de medida e se encontra na forma semelhante a uma “pêra”, não se pode simplesmente ignorar o problema e deixar o tempo passar, afinal, à medida que envelhecemos, o nosso metabolismo diminui e queimar a gordura visceral acumulada torna-se cada vez mais difícil.

De fato, mais do que um sinal de sobrepeso, o excesso desse tipo de gordura aumenta e muito o risco de uma série de doenças e complicações já citadas. É essencial uma mudança de hábitos alimentares imediata e o fim do sedentarismo, pois, além da questão estética, uma silhueta mais fina é sinal de saúde e bem-estar.

Esclareça suas dúvidas!


 
MARQUE SUA CONSULTA POR WHATSAPP




Quer receber informações confiáveis sobre cirurgia plástica?

Faça como milhares de mulheres, cadastre-se agora e receba dicas de médicos especialistas!